Prestar Serviço e os Passos

24 de JANEIRO, CONSEGUINDO SE ENVOLVER, É preciso ação e ainda mais ação. “A fé sem obras é morta.”… Nossa única meta é sermos úteis.
Quando participamos de nossa primeira reunião de programa de Doze Passos logo ao final do encontro recebemos nosso primeiro convite de prestação de serviço. ”Ao final da reunião solicitamos que nos ajudem a arrumar a sala.” Quando somos informados de que o anonimato é o alicerce espiritual de nossas atividades, também estamos indiretamente ouvindo um chamado à prestação de serviços em sala; pois sendo as atividades internas dos grupos de mútua ajuda realizadas voluntariamente por seus membros fica mais assegurado de que tudo o que foi dito e ouvido ali que assim permaneça.

E de que se trata exatamente a prestação de serviços dentro de irmandades anônimas? Resumidamente, qualquer atividade que viabilize a existência do grupo e a realização de cada reunião. Desde o ato de pegar uma chave que abra a porta do local ou fazer o café para todos os participantes ou distribuir cartazes em murais de espaços de grande circulação; enfim, são muitas as maneiras de se trabalhar por uma determinada irmandade anônima, sendo as mais comuns:

  • Durante a reunião: Providenciar alimentos e bebidas para a hora do intervalo, coordenar a reunião, atuar como secretário ou tesoureiro, arrumar a sala antes e depois do encontro do grupo, manter uma comunicação com os administradores do local onde a sala estiver instalada. Informar notícias relacionadas ao grupo durante o encontro. Se dispor como “Abordagem” para atender pessoas que inesperadamente apareçam à porta durante a reunião.
  • No intergrupo (ou equivalente): Produção dos materiais utilizados nas reuniões como impressão de materiais em gráficas e elaboração de artigos artesanais para eventos. Participação nos comitês de literatura, de eventos, de internet, de informação ao público, de acessórios e outros. Ir ao evento de Intergrupo como Representante de Grupo (RG).
  • Relacionamentos com outros participantes: Ser madrinha ou padrinho de recuperação de alguém.
  • Divulgação externa: Visitar outros espaços e eventos levando a mensagem do Grupo. Distribuir folhetos e afixar cartazes.

Bem, uma vez que as formas de se prestar serviços voluntariamente dentro de salas anônimas são tantas mas porque o participante iria fazê-lo? Em se tratando dos Doze Passos de AA, cujo foco seria uma maneira estruturada de recuperação de um estado espiritual caótico para uma vida equilibrada e afastada dos problemas que precipitaram a ida até a sala – sejam eles quais forem – a etapa que indica essa prática de prestação de serviço como desejável é o décimo segundo passo.

12º Passo – Tendo experimentado um despertar espiritual, graças a estes Passos, procuramos transmitir esta mensagem aos alcoólicos e praticar estes princípios em todas as nossas atividades.

A prestação de serviço voluntário em grupos baseados no programa de Alcoólicos Anônimos possui muitas razões que asseguram o sucesso dos resultados das próprias irmandades assim como benefícios que se revertem aos próprios servidores.

  • A prestação de serviço voluntária assegura a existência do próprio grupo de maneira anônima, gratuita e com qualidade.
  • A prestação de serviço voluntária assegura o sucesso de seus resultados por ofertar um espaço em que aquele que se encontra em recuperação possa trabalhar em um espaço reduzido, servindo como um verdadeiro ambiente de treino para queles que se afastaram de – ou não chegaram a atuar em – atividades profissionais ao longo da vida; ocupando seu tempo ocioso e viabilizando que seus sentimentos de capacidade e pertencimento aflorem. Com isso, as salas anônimas contam gratuitamente com prestadores de serviços em processo de equilíbrio espiritual interessados na manutenção plena das mesmas, criando uma atmosfera saudável para todos os envolvidos.
  • A prestação de serviço voluntária assegura benefícios que se revertem aos próprios servidores por permitir o permanente contato ativo entre aqueles que estão começando o programa com participantes mais experientes proporcionando-lhes “espelhos de recuperação”. Em contrapartida, os participantes que já estão há algum tempo praticando o programa de 12 passos se mantém em constante contato com os recém-chegados; o que os relembra como eles próprios agiam e pensavam quando chegaram ao grupo e o que não desejam mais a si.

A prestação de serviço em Doze Passos constitui uma base vital do sucesso e continuidade do Programa; pois os resultados positivos alcançados individualmente são revertidos em benefícios coletivos.

ALCOÓLICOS ANÔNIMOS, p.107 ou p.116, Entendo que o serviço é uma parte vital da recuperação mas muitas vezes imagino, “O que eu posso fazer?” Simplesmente começar com o que tenho hoje. Olho em volta para ver onde há uma necessidade. Os cinzeiros estão cheios? Tenho mãos e pés para limpá-los? Subitamente, estou envolvido! O melhor orador pode fazer o pior café; o membro que é o melhor com os novatos pode ser incapaz de ler; o único disposto a fazer a limpeza pode fazer a maior confusão com a conta do banco – mas, cada uma destas pessoas e trabalhos são essenciais para um Grupo ativo. O milagre do serviço é este: quando uso o que tenho, descubro que há mais disponível para mim do que percebia antes.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s