6º Passo

“6. Prontificamo-nos inteiramente a deixar que Deus removesse todos esses defeitos de caráter.”

Admitimos que nossa vida estivesse indo de mal a pior. Aceitamos nos (re)orientar segundo um Poder Superior. Aceitamos (re)orientar nossas decisões cotidianas segundo esse Poder Superior. Escrevemos nosso inventário moral. Partilhamos nosso inventário moral junto a alguém de confiança. O que queremos? O domínio sobre nossas vidas. Nossa sanidade. Para isso, nos dispusemos a mudar e a trabalhar nesse sentido.

Descobrimos através do Quarto Passo que desenvolvemos alguns “defeitos de caráter”. Porém, os motivos que nos influenciaram a gerar esses defeitos de caráter talvez tenham origem em nossa infância, talvez estejam arraigados em nossas crenças e comportamentos há décadas. Talvez sejam até mesmo socialmente endossados em alguns ambientes. Não seria sensato considerar que bastaria a pura conscientização para que mudemos. Às vezes, até mesmo essa tomada de consciência pode levar um longo tempo para se estabelecer em nosso sistema de pensamento, substituindo antigas ideias por novas opções. Lembre-se, por mais que nossas decisões tenham nos levado a consequências indesejáveis, a maior parte do tempo, antes da entrada em Salas de Doze Passos, não fomos questionados sobre o âmago de nossas decisões. A maior parte das pessoas que nos rodeia, não age de maneira muito diversa do que costumávamos agir; e se não cuidarmos permaneceremos a ser influenciados por ideias fomentadoras de comportamentos dependentes. Mudar demora. Transcender é um exercício de renúncia e paciência. Entregue esta fase a seu Poder Superior e confie.

Neste Passo, compreendemos que necessitamos mudar de todo coração e nos prontificamos a isso.

Sugestão de Ferramenta de Recuperação:
Oração da Serenidade “Concedei-nos, Senhor, a Serenidade necessária para aceitar as coisas que não podemos modificar, Coragem para modificar aquelas que podemos, e Sabedoria para distinguir umas das outras.”

 

 

%d blogueiros gostam disto: