Propósitos de Vida

Em doze passos buscamos um equilíbrio completo: físico, mental e espiritual. Buscamos o bem-estar interior, exterior e com os demais que nos cercam. As atividades que realizamos (ou deixamos de realizar) também passa a ser reavaliada em alguns casos. Podemos passar a exercer nossas atividades com mais paixão, abandoná-las, trocá-las ou iniciar novas tarefas para as quais não havíamos dedicado atenção antes da entrada nas salas de terapia de grupo anônimas.

Por algum tempo, uma missão de vida – ou dharma segundo a cultura indiana – me pareceu bastante complicado e obscuro. Porém, percebi que encontrar uma missão de vida particular dificilmente difere de realizar algum tipo de atividade de cunho coletivo, mesmo quando travestida de alguma sofisticação atual.

Há infinitas formas em se realizar espiritualmente, mas se por fim atende a algum objetivo arraigado da história humana é mais provável de obtenha êxito. O que seria dos códigos de programação das redes sociais se não satisfizessem essa alusão tão necessária quanto primitiva de “estar junto dos nossos”, né? E ao mesmo tempo a alegria que traz o ato de “criar” algo através do esforço individual mas que esse algo seja importante coletivamente, (re)conhecido pelos outros.

Faz todo sentido, já que vivemos em pequenas organizações sociais por um período histórico muito mais extenso do que o atual. Esse jeito antigo de viver ainda perdura em quase todos os continentes mesmo já no século XXI. Segue uma breve lista de sugestões, pois somos 7 bilhões de serem humanos apenas na atualidade, cada um com sua história e jeito de ser e viver.

Descobrir uma missão pessoal ou simplesmente adotar alguma tarefa como tal, segundo dizem baseado nos trabalhos de Fritz Perls, oferta um estado de fluxo onde a atividade nos absorve com tamanho prazer que chegamos a perder a noção de tempo e nos sentimos energizados por exercê-la (ao invés de esgotados e estressados como costuma acontecer nos trabalhos impostos por ouras razões).

Arte – Elaborar objetos únicos (seja por exclusividade ou uma padronização cultural específica)

Artesanato – criar e produzir seriadamente objetos de padrões tradicionais. Fazer cestaria, brinquedos, objetos e ferramentas

Cantar – criar canções, cantar sozinho ou em grupo, manter tradições de canto, ensinar a cantar

Cozinhar – sozinho ou em grupo, restaurante ou fornecimento

Competir – jogos, esportes, concursos e campeonatos

Conversar – coaching, ensinar, palestrar

Construir – abrigos, casas coletivas e templos, espaços públicos e de interação social

Criar animais – ter um pet, fazer abrigos para animais desamparados, trabalhar em uma ONG, aderir à causa animal, resgatar animais em risco

Cuidar das crianças (abrigar) – cuidadores, orfanatos

Cuidar das crianças (educar) – escola, cursos

Cuidar dos doentes – cuidados paliativos e terapêuticos. Remédios e tratamentos. Ensino da profilaxia

Cuidar dos idosos – Ex: assistência social

Cuidar dos “outros”- Ex: estrangeiros, deficientes, perseguidos políticos/religiosos/sociais

Cultura – São recentes mas envolvem a atenção da criatividade humana: fotografias, quadrinhos, vídeos e desenhos animados

Dançar – organizar festas e ocasiões propícias a unir canções e movimento

Desenhar – em superfícies, em tatuagens e outros objetos

Encenar – Dramatizar histórias com personagens

Esculpir e Modelar – troncos, pedras, gelo, ovos, ossos, conchas, papel, metal, gesso e argila

Escutar – ser terapeuta, conselheiro, amigo, atender no CVV, exercer a empatia

Esportes – Se dedicar, apoiar ou treinar pessoas

Fantasia – Escrever, reproduzir teatralmente, fazer indumentária

Moda – criar estilos ou reproduzir bem estilos consagrados ou criar roupas especiais

Música – criar e tocar instrumentos, criar ritmos

Orar – ensinar sobre as origens da vida e a prestar reverência de maneira tradicional

Orientar – arbitrar em conflitos, aconselhar visando harmonia, participar da vida política

Plantar – hortas, pomares, jardins, florestas, canteiros, jardins de inverno e terrários

Realizar eventos – reunir pessoas com objetivos ou características em comum

Tecer e estampar – Ex: criar ou produzir as vestes; usando fibras, couros e corantes

Treinar – Ensinar pessoas a realizar tarefas

Com certeza esqueci de alguma coisa… A beleza do que nos faz humanos e únicos é infinita!

Anúncios

O Tempo Revelador

29 de Dezembro Os eventos reveladores da vida podem ou não ser bem-vindos, mas se eles são favoráveis ou não só saberemos com a plenitude do tempo. (Robin Norwood, livro Meditações Diárias para Mulheres que Amam Demais)

É mais ou menos de conhecimento geral que o Programa de Doze Passos se baseia na premissa da Serenidade por 24 horas. Ou, Só Por Hoje. Não é solicitado aos seus participantes a assinatura de um grande contrato ou o acerto de um compromisso pré-determinado de certo tempo. Pede-se apenas a atenção e o controle a um dia de sua vida de cada vez em relação ao motivo que tenha indicado a pessoa a frequentar tal grupo de mútua ajuda. Vitória, encontramos um programa acessível e simples.

“Vitória, como assim? Veja no que irei participar a partir de agora. Que ruim.” – É um pensamento possível nesse primeiro momento.

Dia após dia passamos a visitar reuniões para falarmos sobre nossos desafios pessoais e ouvirmos outras histórias que invariavelmente se assemelham com as nossas próprias em algum aspecto. “O remédio entra pelo ouvido e sai pela boca” nos ensinam. Se existe algo que possivelmente cause embaraço em Salas de irmandade anônimas NÃO são propriamente os relatos que falamos mas o fato que contamos histórias pessoais tão universais, repetitivas, com explicações freudianas conhecidas! Nosso sofrimento nos traiu, descobrimos: aquela dor que ”só” nós mesmos sabíamos o quanto nos dilacerava agora aparece presente com pequenas variações na vida de tantos outros indivíduos desconhecidos. Vitória, o passar do tempo nos revela que nossos segredos talvez não sejam tão sombrios assim.

Falha-se, a famosa recaída. O que se espera de nós? Que reconheçamos a falha, voltemos a frequentar as reuniões e a praticar as ferramentas do Programa do tipo de Grupo ao qual aderimos. As recaídas ainda ocorrerão por certo tempo, mas a espaços temporais cada vez mais crescentes. Vitória, o passar do tempo nos revela nossas próprias mudanças, nos tornando hábeis a nos autoanalisar, tornando nossos comportamentos mais previsíveis a nós mesmos assim nos ofertando a chance de aplicar um livre-arbítrio mais adequado a nossa própria sanidade, interesses e serenidade.

Frequentando reuniões, se conhecendo melhor, aprendendo a interromper os gatilhos da dependência ou comportamentos destrutivos de uma vida equilibrada, uma certa magia (ou seria Lei da Atração? Ou a vontade de um Poder Superior a nós mesmos como cada um o concebe?) começa a encontrar espaço para acontecer. Começamos a identificar companheiros de sala como amigos e criamos (ou recriamos) uma vida social, nos equilibramos emocionalmente, percebemos a chegada de oportunidades na vida e nossa autoestima nos indica como aptos a buscá-las, um círculo virtuoso toma forma e ganha força a nos beneficiar por períodos cada vez mais extensos. Vitória, o Programa de 12 Passos começa a mostrar seus efeitos práticos na vida em geral, extrapolando as Salas.

Finalmente, algumas das frases e textos de reflexão comuns – e um tanto misteriosos no começo – nas salas de mútua ajuda finalmente se tornam compreensíveis: nossos mais insondáveis problemas viabilizaram algumas das mais bonitas soluções de nossas vidas. Nunca ouviu falar nisso ou discorda? Tudo bem, continue voltando para conhecer o segredo que está na próxima reunião. Será na entrega ao tempo que este tipo de vitória exclusiva e pessoal se definirá e manifestará. Permita que o tempo a revele, só por hoje.

Fechar um Ciclo, Recomeçar um Ciclo

O ano de 2017 2018 está a poucos dias de seu término. Para alguns, é o momento de celebrar as conquistas vividas e alcançadas. Para outros, é a vivência do sentimento de dias que ao se encerrarem, não terão feito falta ou deixado saudade. Para outros tantos, apenas mais um ano que se encerrou, sem nada demais a acrescentar de bom ou mau.

Se estamos vivos, os problemas podem aparecer de forma quase natural a qualquer um, mas há uma diferença entre as qualidades de problemas que cada indivíduo tende a experienciar em maior ou menor grau em sua vida. Como dito pelo psicanalista Carl Jung, “a vida de uma pessoa é característica daquela pessoa”.

Assim como os meses do ano, o Programa baseado nos passos de AA possuem Doze etapas. A analogia é quase que imediata; a cada mês, a ideia de um respectivo passo a se trabalhar. Não será jamais a garantia de se encerrar o período de um ano de modo a ter se tornado um ser-humano “perfeito”, mas, certamente nos tornaremos possivelmente pessoas melhores do que costumávamos ser. Que ganho! Nós agradecemos. Nossos familiares, amigos, colegas e conhecidos agradecem. Entregamos nossa contribuição para uma sociedade e um mundo mais saudável baseado na mudança daquilo que somos capazes: nós mesmos.

O ciclo de encerrar uma etapa de crescimento – baseado na ideia do ano que passou – pode nos ofertar assim um inesperado sentimento de gratidão. E o ano vindouro nos proporcionará novas situações que testarão nossas recém-adquiridas ferramentas de recuperação e o novo “eu” trabalhado em passos, tradições, conceitos e lemas; fazendo-nos crescer ainda mais. Agradeça, agradeça.

Que ao terminar desse ano, o estudo e compreensão de cada um dos Doze Passos tenha colaborado para que antigos problemas tenham sido deixados para trás permitindo que a vida nos traga suas surpresas, talvez até mesmo na forma de novos problemas, quem sabe elevados agora a noção de desejados desafios que ajudem a nos manter no ritmo positivamente crescente em nosso processo de recuperação. O ano terminou, mas nós continuamos!!!

Apresentação

Este é um guia pioneiro no Brasil. É o primeiro Guia de Salas Anônimas; editado até o momento para dezesseis Estados brasileiros e os países lusófanos. Espero conseguir desenvolver outros guias para rápida localização de salas para os demais Estados brasileiros e outros países assim que possível.

Esta é uma página independente sobre o que são, como funcionam e dados de localização de Grupos de Doze Passos baseados na tradição de mútua ajuda de irmandades anônimas. Não possui qualquer tipo de endosso de outras instituições de 12 Passos, porém, visa respeitar os Doze Passos de Alcoólicos Anônimos, célula-mãe dos grupos de terapia coletiva.

Para elaborá-lo, utilizei os dados de endereços disponíveis nas páginas eletrônicas de cada irmandade anônima brasileira publicada na internet. Como cada grupo anônimo apresenta suas informações de maneiras muito distintas – alguns optam até mesmo em não divulgar endereço algum – meu trabalho consistiu em um primeiro momento em pesquisar cada site para copiar os dados disponíveis; a seguir, definir um conjunto mínimo de informações relevantes e a maneira como cada uma apareceria no Guia para proporcionar uniformidade textual e, finalmente, perceber quais seriam as exceções dentro dessas exíguas regras.

Salas de doze passos salvam vidas. Espero que ajudem a você.

%d blogueiros gostam disto: