Arquivo da tag: mulher

Ser Mulher e Dependências

Meditações Diárias para Mulheres que Amam Demais, Robin Norwood, 5 de Agosto: “Nossa cultura na verdade encoraja nas mulheres a dependência de relacionamento e reprova aquelas que não pensam, sentem e agem de acordo com esses moldes.”

Oito de março, tornado Dia Internacional da Mulher em memória das operárias mortas em um incêndio durante uma greve no início dos movimentos trabalhistas e feministas. Seria possível repetir muito do que já foi falado desde então. Mas essa é uma página dedicada ao Programa de Doze Passos baseado em Alcoólicos Anônimos enquanto célula-mãe. Se a mídia e os movimentos sociais denunciam que há muito por mudar para a igualdade entre os gêneros no século XXI, quem vive a recuperação das mais diversos tipos de dependências (químicas, comportamentais, emocionais) sabe ainda – também por muitas vezes associar a recuperação à terapia tradicional – que o aspecto da recuperação espiritual pode ser bastante (mais) árduo para as mulheres.

Quando a mulher inicia sua reabilitação, como se internar voluntariamente quando há filhos em casa para criar? Como priorizar a compra de remédios quando seus filhos têm outras demandas também importantes? Como tomar remédio para dormir (contra insônia) se dormir sozinha ou com crianças pequenas sob seus cuidados? Como ir à reuniões de irmandades anônimas – mesmo sendo gratuitas – se não tiver quem cuide de suas crianças para poder sair de casa por pouco mais de 2 horas? Como ir à terapia ou comprar livros ou reuniões de irmandades anônimas – mesmo sendo gratuitas – se não tiver renda própria suficiente para ao menos pagar por um ônibus? Quando as cuidadoras requerem cuidados, quem cuida delas?

1 – Dependências Químicas

1.1 – Alcoólicos Anônimos: Tradicionalmente o grupo reúne homens em sua maioria, mas muitas mulheres também recorrem à AA com histórico de descontrole em relação ao álcool de modo geral devido a traumas infantis (abandono, agressões, abuso sexual e emocional, etc) ou associados a relacionamentos abusivos.

1.2 – Narcóticos Anônimos: Também tradicionalmente tende a reunir mais homens, mas muitas mulheres também recorrem à NA com histórico de abuso em relação às drogas devido geralmente a traumas infantis ou associado a relacionamentos abusivos.

1.3 – Fumantes Anônimos: Impossível não relacionar o vício em nicotina ao glamour estimulado nas mulheres desde jovens por imagens de divas hollywoodianas e mulheres/modelos/personagens socialmente rotuladas como sexys ou misteriosas segurando cigarros.

1.4 – Grupos Familiares Nar-Anon:
1.5 – Grupos familiares Al-Anon:
1.6 – Alateen:
1.7 – Amor Exigente:
Quando os familiares vão mal, não são justamente as mulheres que investigarão opções de tratamentos, coberturas de planos de saúde, descobrirão as salas de mútua ajuda e terão aquela “conversa séria” para que uma recuperação de inicie?

2 – Dependências Comportamentais

2.1 – Comedores Compulsivos Anônimos: Tradicionalmente o grupo reúne mais mulheres, que recorrem à CCA com histórico de descontrole em relação à comida devido a traumas infantis ou porque passaram a utilizar a alimentação compulsiva como um “amortecedor” para relacionamentos (familiares, sexo-afetivos, profissionais, etc) aos quais não conseguem se emancipar.

2.2 – Devedores Anônimos:
2.3 – Jogadores Anônimos:
Ser mulher é para muitas culturalmente desde cedo ser estimulada a escolher profissões de apoio (enfermagem, ensino com crianças, cuidadoras, etc) que muito exigem e pouco retribuem; ou veladamente serem estimuladas a abandonar suas carreiras para priorizar o ambiente doméstico sob títulos pomposos porém ingênuos como os “mãe exclusiva”. Quantas e quantas mulheres não vivem na dependência financeira (pensões, planos de saúde e previdência) e material (imóveis, heranças) deixados por pais ou ex-relacionamentos que alimentam a ideia do trabalho feminino ser desnecessário? O mesmo valendo para a interrupção de estudo por razões de casamento ou gravidez. Isso pode ser um grave fator de complicações diante de eventuais reveses da vida que possam surpreendê-las quando não desenvolveram habilidades essenciais ao trabalho e estão habituadas a viver completamente despreparadas ao autossustento.

3 – Dependências Emocionais

3.1 – Mulheres que Amam Demais Anônimas: Único grupo anônimo exclusivamente feminino no Brasil. As mulheres recorrem à MADA quase sempre com histórico de depressão severa devido a relacionamentos sexo-afetivos abusivos (com homens ou às vezes com outras mulheres).

3.2 – Ciumentos Anônimos
3.3 – Codependentes Emocionais Anônimos
3.4 – Dependentes de Amor e Sexo Anônimos
3.5 – Emocionais Anônimos
3.6 – Introvertidos Anônimos
3.7 – Neuróticos Anônimos
Muitas das vezes ser mulher é praticamente possuir a literatura endossada de tais irmandades como trechos perfeitos da própria autobiografia.

Meditações Diárias para Mulheres que Amam Demais, Robin Norwood, 21 de Abril: “Não é o que dizemos a nossas filhas, mas o modo como nos sentimos e agimos o que fornece as instruções instintivas do que é ser mulher. Embora nossa recuperação da dependência de relacionamento não garanta que elas repetirão nosso exemplo, essa ainda é a melhor maneira de evitar que façam o mesmo. Na verdade, o melhor presente de uma mãe com dependência de relacionamento para sua filha é a própria recuperação progressiva. Não é reconfortante saber que quanto mais cuidamos de nós, mais criamos oportunidade para que todas as pessoas ao nosso redor sejam verdadeiramente saudáveis e felizes?”